top of page
  • Foto do escritorJuliana Rosado

Porque eu estou sempre tão ansiosa(o)/irritada(o)?

Após momentos crônicos de estresse ou eventos traumáticos, o nosso sistema nervoso pode não retornar ao equilíbrio/funcionamento natural. Assim, corpo permanece em um estado de alerta pelo excesso de picos de tensão, e você não consegue voltar para um estado mais calmo e relaxado.

Consequentemente, quando você for responder a futuros estressores, a reação será intensa e emocionalmente carregada, pois seu sistema não está regulado.


Importante lembrar: isso não é sua culpa.

O estresse e ansiedade em excesso, fadiga crônica e traumas podem modificar a sua fisiologia. O sistema nervoso se desregula e você pode precisar de auxílio para 'voltar para casa', para se sentir sentir seguro, confiante e recuperar sua capacidade inata de resiliência.


A desregulação também afeta a maneira como o sistema imunológico e o sistema endócrino (sistema hormonal) funcionam. E isso pode resultar em sintomas como queda de cabelo, mudanças no sono e na alimentação, humor deprimido ou crises de ansiedade, crises de choro, memórias intrusivas, entre outros.


*Lembrando que, a ansiedade é uma reação emocional que pode ser bastante útil em alguns momentos, como quando estamos nos preparando para um evento importante. No entanto, quando a ansiedade se torna crônica e desmedida, pode causar sofrimento e impedir o crescimento e funções básicas como seguir uma rotina normal de trabalho e se relacionar de maneira saudável. Alguns sinais comuns de ansiedade:

  • Estar constantemente preocupado ou com excesso de preocupações.

  • Sentir medo. Dificuldade em manter o foco. Sensação de cansaço constante.

  • Dificuldades para dormir (problemas para adormecer, acordar várias vezes durante a noite ou ter pesadelos).

  • Irritabilidade frequente. Músculos tensos. Dor de cabeça recorrente. Coração acelerado.

  • Tremores. Transpiração excessiva.

  • Problemas gastrointestinais, como enjoos, diarreia ou prisão de ventre...


Pergunta: Ao invés de sentir ansiedade ou irritação, eu congelei. Porque eu não disse algo ou me defendi ao invés de só ter ficado em silêncio?


Quando estamos nos sentindo ameaçados, inseguros, sem apoio, nosso sistema nervoso responder em um desses estados: fuga - luta - congelamento. Ou seja, quando você se sente pressionado e/ou ameaçado e o corpo pode recorrer a diferentes mecanismos para tentar se proteger.

Pergunta: Porque eu não consigo superar as situações, não levar tão a sério ou só ‘deixar para lá’?


Imagine que o seu cérebro é como o centro de comando de uma grande nave espacial, que tem várias funções automáticas para proteger a nave de danos. Essas funções automáticas fazem parte do nosso sistema nervoso, e elas são ativadas quando o centro de comando (ou seja, o cérebro) percebe um perigo ou ameaça.


A ansiedade, o medo, a raiva e o estado de "congelamento" que às vezes sentimos não são coisas que escolhemos. Elas são reações automáticas, que acontecem sem que percebamos. É como se fossem sistemas de alarme que disparam sem que possamos controlá-los.


Quando vivenciamos uma situação que nos lembra um trauma ou evento estressante que já passamos, o nosso sistema nervoso entra em estado de alerta e dispara essas reações de proteção, como se estivéssemos enfrentando de novo aquela situação perigosa.


E aí é que está o desafio: Essa regulação do sistema nervoso não é algo que possa ser mudado apenas com pensamentos positivos ou força de vontade. O sistema precisa ser "reprogramado" para entender que não estamos mais naquela situação perigosa. E isso é um processo que envolve não só a nossa mente, mas também o nosso corpo.


Superar não é apenas uma questão de querer, mas sim um processo de reeducar o sistema nervoso para responder de maneira diferente às situações.



Regulação do sistema nervoso


O objetivo da regulação do sistema nervoso é ensinar o cérebro a responder de maneira diferente a essas situações.


É como se você estivesse ensinando o cérebro a ficar calmo de novo, depois de passar por algo difícil.


Para conseguir fazer essa "reprogramação", você pode começar a prestar atenção nas sensações do seu corpo e observar as suas emoções. Trazendo mais consciência para os teus padrões de pensamentos e comportamentos. Por exemplo:


  • Você já reparou se existe alguma conexão entre a forma como você se sente e as sensações do seu corpo?

  • Existem atividades que te ajudam a se sentir mais conectado com o teu corpo e a relaxar?

Se você sente que está tendo dificuldades para se autorregular, existem várias ferramentas que podem ajudar. Algumas delas são: yin yoga, meditação guiada, yoga nidra, exercícios de relaxamento, técnicas de respiração e psicoterapia. Essas atividades podem ajudar a "acalmar" o seu sistema nervoso e a trazer um equilíbrio maior para a sua vida.

Aceitar o que aconteceu, cuidar de si mesmo, movimentar o corpo e treinar a mente são ferrasmentas importantes nesse processo. E você não precisa passar por ele sozinho(a), as vezes é importante um acompanhamento com um profissional que saiba como fazer isso.


Se você quiser aprender mais sobre como fazer isso, eu estou aqui para te ajudar.



コメント


bottom of page